Esse artigo foi escrito para os aventureiros que querem fazer o trekking ao Glacial Vinciguerra e chegar até a Laguna de los Témpanos, localizada a 800 metros acima do nível do mar, na Patagônia Argentina. Considerado por muitos montanhistas o melhor trekking da região de Ushuaia, o Glacial Vinciguerra é a segunda maior geleira da província de Tierra del Fuego.

Glacial Vinciguerra Laguna Témpanos
Glacial Vinciguerra Laguna Témpanos

Não é fácil chegar lá, mas seu esforço será recompensado pela experiência e pelas paisagens de rios, montanhas, riachos, cachoeiras, cavernas de gelo, fendas e a belíssima Laguna de los Témpanos. São 7 km de subida, ou seja, 14 km ida e volta, num nível de dificuldade considerado médio alto, indicado apenas para pessoas em boas condições físicas. Mesmo gozando de boas condições, pode ser que em algum momento da trilha você pense que foi uma furada ahaha… As condições são extremamente adversas sim, mas, se puder não desista. Chegar lá vai ter gostinho especial. Sentir a adrenalina correndo na veia e a felicidade de ter alcançado o topo e a meta, além de ver aquela paisagem que só vê quem se atreve.

Glacial Vinciguerra Laguna Témpanos

A subida é feita em zig-zag, na maior parte dentro do bosque das lengas, árvore típica da região. O tempo médio de caminhada é de 8 a 10h, num terreno bem inclinado, com pedras, muita lama e possibilidade de gelo e/ou neve.

+ Veja aqui meu trekking à base das Torres del Paine, Patagônia Chilena

Glacial Vinciguerra Laguna Témpanos

Como é o trekking ao Glacial Vinciguerra

Reserve um dia inteiro para essa aventura. Mesmo que retorne ainda com luz do dia, certamente você estará bem cansado, incapaz de topar qualquer outro programa. Nós contratamos o trekking com a agência Brasileiros em Ushuaia. Nosso grupo devia ter umas 10 pessoas, era um grupo grande por conta do feriado de Pascoa. Fomos acompanhados por dois guias, a Gaia e o Leopoldo. Apesar de sinalizada, não recomendo fazer sem um guia local porque, em alguns pontos, a sinalização é discreta e pode passar despercebida. Creio que ninguém vai querer ficar perdido num bosque na Patagônia né?! Na minha opinião, ter alguém especializado ali faz total diferença.

Glacial Vinciguerra Laguna Témpanos

+ Veja aqui meu trekking ao Monte Fitz Roy, Patagônia Argentina

1ª. Etapa Inicio do trekking ao Vinciguerra

O ponto de partida se dá no Vale do Andorra, que fica relativamente perto da cidade de Ushuaia. Depois da sair da van começamos a caminhada às margens do Arroyo Mayor, um rio sinuoso de água de degelo em terreno de turfa, molhado e bem escorregadio. A turfa é um tipo de vegetação muito comum nessa região, que parece com uma esponja e acumula muita água.

Glacial Vinciguerra Laguna Témpanos

São aproximadamente 30 minutos até o começo de fato da trilha. A paisagem é incrível, montanhas e mais montanhas com picos escarpados cobertos de neve, que encantam e assustam ao mesmo tempo.

Esse trecho inicial é o mesmo da travessia do Cañadon de la Oveja, uma caminhada de dois dias pelas montanhas e vales de Ushuaia.

2ª. Etapa Bosque de Lengas

A trilha segue um bom tempo pelos bosques de lengas, um dos três tipos de árvores típicas da Patagônia e que no outono ganham um colorido especial. A subida é constante e intensa. São basicamente 3 grandes e cansativas subidas. A dica é caminhar com calma, mas num ritmo constante. De passo em passo, você chegará lá.

Glacial Vinciguerra Laguna Témpanos

Os guias pedem o tempo inteiro para não pararmos para fotos ao longo da trilha, para não perder o ritmo e a frequência, além de evitar algum acidente. Dentro do bosque é mais protegido do vento, e com a subida dá um certo calor. É possível tirar o casaco nessa parte.

A primeira parada se dá com umas 2h de caminhada. Um pouco depois da metade da trilha, depois da bifurcação para a Laguna Encantada. Hora de um rápido lanchinho para repor energias.

3a etapa – Vale aberto e subida final

Abandonamos o bosque e saímos em uma área aberta em meio as montanhas, margeando um rio formado pelo degelo do glaciar. Ali é hora de colocar os casacos novamente porque o vento castiga. Começamos o trecho final até a Laguna. Novamente uma subida e ainda mais íngreme, em terreno típico das regiões mais altas da Patagônia, com muitas pedras soltas. Me lembrou a etapa final da Base de Torres del Paine. Ventava muito e a guia explicou que quando viesse uma rajada que nos abaixássemos e ficássemos protegidos perto da encosta.

Glacial Vinciguerra Laguna Témpanos

Todo esforço foi recompensado quando chegamos à Laguna de los Témpanos. Uma linda e encantadora lagoa emoldurada pelo glaciar. Témpano significa iceberg, o nome vem dos pequenos blocos de gelo que flutuam nas águas da laguna.

Glacial Vinciguerra Laguna Témpanos

Seguimos direto para as cavernas de gelo por um caminho de pedras na borda direita da lagoa. A entrada da caverna é impressionante. Após a guia Gaia ter verificado as condições de segurança, entramos na caverna com cuidado, por conta do degelo.

Glacial Vinciguerra Laguna Témpanos

Uma pena que as fotos não retratam a beleza e grandiosidade do lugar. É surreal de lindo!

4 etapa: o retorno

Ali fizemos um lanche, descansamos e tiramos muitas fotos. O box lunch tinha quiche, sanduiche, barra de cereais, alfajor e suco. Foi servido um chá quente na base do glacial que ajudou a esquentar.

Glacial Vinciguerra Laguna Témpanos

Hora de voltar! Pra mim foi mais tranquilo por conta de ser descida. Não chega a ser fácil mas eu prefiro. Nessa hora que você verifica as condições dos seu joelhos. ahaha

O que vestir no Glacial Vinciguerra

Importante estar vestido em camadas e com roupas impermeáveis, principalmente as botas. Em camadas porque, com o esforço físico, é provável que você sinta calor. É bom evitar de suar para que o corpo não esfrie. A primeira camada deve ser camisa e calça térmica, depois fleece e casaco corta-vento preparado para o frio. Não esqueça luvas impermeáveis e quentes. Botas de trilha e gorro. Se tiver bastões de caminhada, é bom levar, senão não tiver, os guias emprestam.

Glacial Vinciguerra Laguna Témpanos

Nós alugamos botas no centro de Ushuaia, nao só por serem impermeáveis, de cano longo, mas tambem porque poupou as nossas botas da lama!

Terminamos o trekking ao Glacial Vinciguerra tomando vinho na calçada. Sujas, cansadas, porém felizes!

Continuem acompanhando nossas aventuras no fim do mundo.

+ Veja aqui o roteiro completo de 5 dias em Ushuaia

Espero que tenham curtido as dicas do trekking ao Glacial Vinciguerra. Se tiver qualquer duvida, deixe um comentário que terei prazer em ajudar.

Obrigada pela visita e voltem sempre!

Escrito por
Publicado em

Deixe aqui seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *